Investimentos

Dividendos: descubra o que são e as formas de pagamento

09/09/2021

15 minutos de leitura

Dividendos: descubra o que são e as formas de pagamento

Muitas empresas listadas na bolsa de valores pagam dividendos aos seus acionistas.

Dividir uma parte de seus lucros é uma forma de atrair mais investidores e assim captar mais recursos.

Para os acionistas é sempre bom contar com um diferencial a mais em seus negócios, por isso muitos dão preferência para essas ações.

Sem contar aquela sensação de dono de negócio que os acionistas sentem quando o dinheiro cai em suas contas, é realmente satisfatório.

Ou seja, eles são do interesse tanto de quem está pagando quanto de quem está recebendo.

Então, se você quer entender como os dividendos funcionam para fazer melhores escolhas em seus investimentos, você está no lugar certo, confira!

Queremos fazer diferente para fazer a diferença para você. Clique e faça parte do Meubank

Dividendos: afinal, o que são?

o que são dividendos

Os dividendos são a remuneração que as empresas oferecem aos seus acionistas, referente à divisão de parte do lucro líquido gerado.

Ele é pago proporcionalmente à quantidade de papéis que cada acionista possui daquela empresa.

Ou seja, as empresas dividem parte do seu lucro com seus acionistas, para conseguir atrair cada vez mais investidores.

Como é determinado o valor dos dividendos?

como os dividendo são calculados

A primeira coisa que você precisa entender sobre o cálculo do valor dos dividendos, é que ele é proporcional à quantidade de ações que cada investidor possui.

O valor determinado pode ser fixo ou percentual, isso fica a critério da própria empresa.

No caso do valor fixo, se você possuir 100 ações de uma empresa e ela pagar R$ 2 por ação, você irá receber:

100 X R$ 2 = R$ 200 de dividendos

Já no caso de valor percentual, você precisa considerar primeiro o valor da ação, o percentual que será pago e a quantidade de ações em carteira, por exemplo:

Cada ação vale R$ 30, a empresa pagará 5% de percentual e você possui 100 ações, você vai receber:

5% X R$ 30 X 100 = R$ 150 de dividendos, sendo R$ 1,50 por ação

Dividend Yield

Existe também um indicador chamado Dividend Yield (DY), que pode ser traduzido como Rendimento de Dividendos.

Ele serve para medir o rendimento dos dividendos em relação ao valor de suas ações.

Por isso é importante saber como calcular e interpretar esse índice, antes de escolher em quais ações investir.

O cálculo desse índice é simples, você divide o valor que está sendo pago por dividendo, pelo valor da ação, por exemplo:

Se a empresa está negociando suas ações por R$ 30 e pagando o dividendo anual de R$ 2 por ação, o DY dela é:

DY : R$ 2 ÷ R$ 30 x 100 = 6,66%

Agora, se as ações estivessem valendo mais, o DY seria menor, por exemplo:

As ações estão valendo R$ 50 e a empresa está pagando o mesmo dividendo, de R$ 2 por ação, o DY dela seria:

DY : R$ 2 ÷ R$ 50 x 100 = 4%

Um ponto importante é compreender que um Dividend Yield alto pode significar que aquela empresa não tem tanta perspectiva de crescimento.

Porque, em vez dela estar reinvestindo parte dos seus lucros em seus projetos de crescimento, ela está dividindo entre seus acionistas.

Enquanto o Dividend Yield baixo pode significar o contrário, que ela tem uma tendência maior de crescimento.

Já que ela precisa de mais recursos para investir em seus projetos internos, por isso diminui a porcentagem distribuída aos acionistas.

Além disso, DY não deve ser o único fator de análise na hora de escolher uma ação.

Formas de pagamento dos dividendos

formas de pagar dividendos

Como o pagamento dos dividendos não é obrigatório, ele não possui um calendário fixo, e pode ser pago anual, trimestral ou semestralmente.

Quando a empresa decide pagar os dividendos aos acionistas, ela precisa seguir alguns procedimentos até que o pagamento chegue na conta de cada um deles.

Antes de tudo, o conselho administrativo da empresa precisa aprovar o pagamento, são feitas reuniões periódicas para analisar se os lucros devem ser repassados.

Após a aprovação, a empresa precisa protocolar o processo na CVM (Comissão de Valores Mobiliários), e então os acionistas são informados de como e quando irão receber os dividendos.

Após a publicação, os acionistas já devem acompanhar a agenda de dividendos da empresa, para saber as datas programadas.

Porém, o pagamento não precisa ser necessariamente ser feito em dinheiro, as empresas podem escolher entre:

Dinheiro

Quando o pagamento do dividendo é realizado em dinheiro, ele será proporcional à quantidade de ações na carteira de cada acionista.

O valor estipulado pode ser fixo, ou percentual em relação ao valor que aquelas ações estão sendo negociadas.

Ações

As empresas podem optar em pagar os dividendos com mais ações, e calcular proporcionalmente à quantidade de papéis que cada acionista possui.

Nesse caso as quantidades são definidas como, por exemplo, 3 ações a cada 50 ações que o acionista possui em carteira.

Dividendos one-time

Também conhecido como Dividendo especial, são situações que podem acontecer com a empresa que a levam a realizar o pagamento fora da agenda de dividendos.

Por exemplo, se a empresa vender uma unidade fabril, parte do lucro obtido com a venda pode ser dividido entre seus acionistas.

Existem custos de investir em dividendos?

custos de investir em dividendos

No dia 1º de setembro desse ano, foi aprovado na Câmara dos Deputados o texto-base da reforma tributária.

A reforma prevê, entre outras pautas, a taxação de IR sobre os dividendos, que era isento para pessoas físicas desde 1996.

Se for aprovado pelo Senado, passará a ser cobrada alíquota de 15% de Imposto de Renda sobre os dividendos, que será descontado direto na fonte.

De acordo com a proposta, a isenção continua válida para os dividendos de micro ou pequenas empresas, no valor de até R$ 20 mil.

Como os investidores precisam ter uma conta em uma corretora para operar na bolsa de valores, existem os custos e tributos que elas cobram.

  • Taxa de Corretagem;
  • Imposto Sobre Serviço (ISS);
  • Taxa de Manutenção da Custódia;

As corretoras possuem autonomia para isentar a taxa de corretagem se quiserem, então vale a pena pesquisar todas as taxas antes de abrir sua conta.

E a Câmara de Ações e a B3 também cobram taxas, e como a compra e venda das ações acontecem na bolsa de valores, é necessário considerar essas cobranças.

  • Taxa Sobre o Valor da Custódia;
  • Emolumentos e Taxa de Liquidação.

Como montar uma carteira de dividendos?

como montar uma carteira de dividendos

Se você se interessa pela ideia de viver somente de dividendos um dia, saiba que isso não é impossível.

O caminho para gerar renda passiva com dividendos é montar uma excelente carteira a médio e longo prazo.

E para ser eficiente, a carteira de dividendos precisa ser diversificada, investir em diferentes empresas é a melhor maneira de equilibrar os riscos.

Mas, antes de sair investindo em qualquer ação que pague esse rendimento, veja algumas dicas que podem te ajudar na escolha.

Estude a empresa na qual quer investir

Estudar o histórico da empresa que está oferecendo o dividendo é o primeiro passo para montar uma carteira eficiente.

Procure saber sobre o desempenho dos gestores e estude os balanços financeiros, já que as empresas listadas na bolsa precisam publicar os balanços periodicamente.

Empresas do setor energético, bancário e de seguros costumam pagar bons dividendos aos seus acionistas, por estarem bem consolidadas no mercado.

Ou seja, quanto maior e mais consolidada a empresa for, maior será a recorrência no pagamento de dividendos, podemos usar como exemplo as blue chips como a Petrobrás, Itaú S.A e Banco do Brasil Seguridades.

Analise os pagamentos já feitos de dividendos

É importante analisar o histórico de pagamentos de uma empresa antes de escolher se tornar sócio dela.

Mas, entender o porquê de a empresa ter pago dividendos, é mais valioso ainda, para ter previsibilidade dos próximos meses e anos.

O ideal é que você entenda o contexto que levou aquela empresa a não pagar os dividendos por determinado período.

Pois, os motivos podem ser muito diferentes, como ter acontecido alguma intercorrência no setor ou nela própria.

Assim como pode ter surgido um projeto interno de expansão, onde houve a necessidade de captar recursos e ela optou por reinvestir seu lucro excedente.

Quando ocorre o pagamento de dividendos

quando os dividendos são pagos

Como já vimos anteriormente, as empresas não são obrigadas a seguir um calendário de pagamento dos dividendos.

Mas elas seguem uma estrutura de planejamento para que os investidores possam acompanhar as previsões de pagamentos, pela agenda de dividendos.

Agenda de dividendos

A agenda de dividendos funciona como uma previsão das datas que os pagamentos serão realizados, já que fatores externos podem interferir no lucro que as empresas conseguiram obter.

Mas a agenda serve para nortear o investidor, então ele precisa saber como ela funciona, confira:

1. Data de Declaração

A data de declaração é quando o conselho administrativo da empresa faz o anúncio de que irá pagar os dividendos de suas ações.

Ela é considerada uma parte importante da agenda, pois depois que a empresa declara o pagamento, ela é obrigada por lei a dividir seus lucros com os acionistas.

Geralmente, nesse momento ela informa também o valor que será pago nos dividendos, a data de registro e a data do pagamento.

2. Data Ex-Dividendo (Data Ex)

A data Ex é estabelecida pela bolsa de valores, para definir quem terá o direito de receber o pagamento dos dividendos daquela empresa.

É bem simples, quem comprou as ações antes da data Ex-dividendo recebe os lucros distribuídos pela empresa.

Quem comprou as ações depois da data Ex não tem direito de receber, e nesse caso quem recebe é o investidor que vendeu as ações.

Por exemplo, imagine que a empresa Y anunciou o pagamento de dividendos das suas ações, e a data Ex definida pela bolsa de valores foi dia 20 de agosto.

Se você comprou as ações no dia 19 de agosto, terá direito de receber os dividendos que serão distribuídos.

Mas, se você comprou as ações no dia 20 de agosto, quem terá direito de receber os dividendos, é a pessoa que vendeu as ações.

Essa regra é válida somente quando o pagamento dos dividendos é feito em dinheiro.

Pois, se o pagamento for feito em novas ações, a data Ex é considerada o primeiro dia útil após o pagamento dos dividendos.

3. Data de Registro

A data de registro é o dia em que a empresa fará o registro oficial dos acionistas que terão direito de receber os dividendos.

Nessa data também são enviadas procurações, relatórios financeiros e outras informações sobre a distribuição dos dividendos.

4. Data de Pagamento

Como o próprio nome já diz, a data de pagamento é o dia definido para os acionistas receberem os dividendos.

Em breve sua sua conta digital com novos investimentos. Faça parte do Meubank

Conclusão

conclusão sobre dividendos

Dividendos são a divisão dos lucros líquidos que uma empresa oferece aos seus acionistas, e ele deve ser proporcional à quantidade de ações que cada um deles possui.

Investir em ações de empresas que pagam dividendos é uma ótima maneira de conseguir bons rendimentos no mercado financeiro.

As empresas listadas na bolsa de valores não são obrigadas a dividirem seus lucros, mas fazem isso como estratégia para atrair mais investidores.

Porém, nem sempre eles são pagos em dinheiro, as companhias também podem escolher pagar em ações ou em juros sobre capital próprio.

Se você deseja conquistar a tão sonhada independência financeira, esse pode ser o caminho que vai te ajudar a chegar no seu objetivo.

O primeiro passo é montar uma carteira de dividendos diversificada, com diferentes empresas para equilibrar os riscos que a renda variável apresenta.

Antes de escolher em quais empresas investir, pesquise tudo que puder sobre aquela companhia, pois vários fatores podem interferir no lucro obtido por elas.

Informações como o balanço financeiro e até mesmo possíveis polêmicas envolvendo a companhia podem te ajudar na tomada de decisão.

Um fator muito importante que também deve ser considerado são os pagamentos anteriores dos dividendos, se possível analise os últimos cinco anos.

Pois, empresas que pagaram dividendos um ano sim e outro não, por exemplo, podem apresentar instabilidades financeiras.

Como o pagamento dos dividendos não é obrigatório, ele não tem uma data específica para ser realizado.

Então, para saber as datas previstas para os pagamentos, os acionistas devem acompanhar a agenda de dividendos.

Agora que você já sabe como essa estratégia pode ajudar nos seus rendimentos comece hoje mesmo a investir.

Fique por dentro das novidades

Assine nossa newsletter e receba nosso conteúdo assim que sair.